sexta-feira, 30 de abril de 2010

Palavras de Razumikhin

" A mentira é o único privilégio do homem sobre todos os outros animais. Mente, que vais acabar atingindo a verdade! É precisamente por ser homem que eu minto. Nem uma só verdade poderias alcançar se antes não mentisses quatorze vezes, e até cento e quatorze vezes, o que represetna uma honra sui generis; simplesmente nós nem sequer sabemos mentir com inteligência! Tu mentes, mas mentes de uma maneira especial, e eu ainda por cima te dou um abraço. Mentir com graça, de uma maneira pessoal, é quase melhor que dizer a verdade igual a todo mundo; no primeiro caso se é um homem e, no segundo, não se é mais que um papagaio! A verdade não anda depressa, mas podemos fazer a vida correr; há exemplos disso. Ora vejamos: ciências, da cultura, do engenho, da invenção, da experiência, em todos os campos, em todos, não passamos das primeiras letras. Gostamos de nos regalarmos com a inteligência alheia! Da papinha já feita! Não é verdade? Não tenho razão?"

(Crime e Castigo, Dostoiévski)


Hoje é dia de ouvir Sarah Maclachlan, Mirroball. Conhecem?? Escutem!


Bom fds.


Wendy!

2 comentários:

**O que dizer do que escrevi?**