sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Caio em citações...

 
não te tocar, não pedir um abraço, não pedir ajuda, não dizer que estou ferido, que quase morri, não dizer nada, fechar os olhos, ouvir o barulho do mar, fingindo dormir, que tudo está bem, os hematomas no plexo solar, o coração rasgado, tudo bem
Garopapa Mon Amour (In. Pedras de Calcutá)

Os pelos molhados se misturavam. Ele estendeu a mão aberta, passou no meu rosto, falou qualquer coisa. O quê, perguntei. Você é gostoso, ele disse. E não parecia bicha nem nada: apenas um corpo que por acaso era de homem gostando de outro corpo, o meu, que por acaso era de homem também. Eu estendi a mão aberta, passei no rosto dele, falei qualquer coisa. O quê, perguntou. Você é gostoso, eu disse. Eu era apenas um corpo que por acaso era de homem gostando de outro corpo, o dele, que por acaso era de homem também.
Terça-Feira Gorda (In.Morangos Mofados)


Mas tentamos tudo, inclusive trepar, porque tantos livros emprestados, tantos filmes vistos juntos, tantos pontos de vista sociopolíticos existenciais e bababá em comum só podiam dar mesmo nisso: cama. Realmente tentamos, mas foi uma bosta. [...] tanto tesão espiritual moral existencial e nenhum físico, eu não queria aceitar que fosse isso: éramos diferentes, éramos melhores, éramos superiores, éramos escolhidos, éramos vagamente sagrados. [...] Cultura demais mata o corpo da gente cara, filmes demais, livros demais, palavras demais...
Os Sobreviventes (In. Morangos Mofados)


.................................................................................................................
Acho que já falei que estou lendo (comecei segunda-feira) um livro de coletâneas de contos de Caio F. Muito difícil parar... Mas estou tentando ir devagar.. porque Caio.. tem que digerir.. tem que terminar de ler.. e respirar.. e tentar entender de forma não preconceituosa...

 Caio gostava de dedicar seus contos. Farei o mesmo hoje dedicando todas as citações à Doug e Manon... que muitas vezes falam como ele, e que muitas outras vezes Caio me fala por eles. Dedico também o conto que li hoje de manhã vindo ao trabalho AO SIMULACRO DA IMAGERIE pra minha irmã Ruiva - putz irmã... como esse conto me lembrou você!!

Bom final de semana!!

Wendy.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Sufflair

O dia amanheceu frio, mas com sol. Depois choveu, e tomei chuva indo pra o ponto de ônibus: e minutos depois começou os atchins!

Consegui lugar sentada no ônibus mas o nariz congestionou tanto-tanto-tanto que eu preferi dar o lugar ..ficando em pé!

Foi então que meu headfone em modo aleatório escolheu tocar OLHAR 43, do RPM.  Nossa, tive que me segurar pra não dançar às sete da manhã num ônibus parcialmente cheio!! E como era bom música nos anos 80!! Eu era criança, me contagia até hoje.

A influência nostálgica do Paulo-gato-para-sempre-Ricardo foi tão grande que estou até agora revivendo coisas antigas.

Por exemplo: comprei um soufflair (meu chocolate preferido nos anos 90), comprei também uma barra de Galak - mas esse é meu chocolate branco preferido até hoje, lembrei do Sprite Diet que eu amava (não tomo mais refrigerantes há um ano graças a Davi).. e o dia todo teve cheiro de perfume Joop! ou CK One (preferido nos anos 90 da minha amiga Pimentinha).

Tou terminando a barra de soufflair... e ele já foi melhor.

Wendy.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Filmow

Recebi a indicação de conhecer esse site através da minha prima (valeuz prima).. ela mandou o link pro meu orkut e falou que era uma dica pra "quem gostava de cinema".

Outro dia fui na casa de mamãe e essa minha prima tava acessando esse site de lá. Foi então que saquei qual a graça do Filmow.

Dai que você faz uma relação dos filmes que já viu, dos filmes que quer ver, e dos que nunca jamais pretende... e ele ainda te dá dicas influenciado pelas informações que você dispõe no seu perfil. Sem falar que ainda fica com um registro virtual, que tem links pra as sinopses dos filmes, de tudo que você já viu e talz.

Muuuuuuuuuuito legal. Quem fizer o cadastro, favor me add.

Boa semana.

Wendy.
(ouvindo Teatro Mágico... "O dia parece verdade, quando a gente acorda e esquece de levantar")

sexta-feira, 16 de julho de 2010

nunca, sempre (Limite Branco III)

"E repetiu em pensamento: nunca nunca nunca mais. Porque quando uma pessoa morria, era para sempre. Mas não conseguia compreender palavras grandes como essas: nunca, sempre. Havia o dia de ontem, o dia de hoje e o dia de amanhã. Havia mesmo os dias de uma semana atrás, de um mês ou, com um grande esforço que quase fazia a cabeça estourar, os dias de um ano atrás. Mas sempre era muito mais que um ano; e nunca, muito menos que um segundo. Sempre e nunca - ele imaginava uma coisa muito grande e branca, que a gente olhava de baixo para cima, sem conseguir ver onde terminava. Luciana ia ficar para sempre na parede branca, para nunca mais voltar."
(Caio F. - Limite Branco)"


quinta-feira, 15 de julho de 2010

Possibilidades... (Limite Branco Part. II)

"- Aquilo que tu falou outra noite, sabe? Aquilo de ser podre.
- Sei. Que que tem?
- Tem que tu parece que quis dizer que todo mundo era assim. Mas eu não sou, não é Edu? Eu não quero ser...

O primo tornou a sacudir a cabeça, tão devagarinho que parecia estar muito cansado.

- Não é, não. Ainda não. Por enquanto, pelo menos, tu és o único que tem possibilidades.
- O que é possibilidades?
- É... é assim uma coisa que pode ou que não pode ser. Mas é quase certo que pode.
- E o uqe é que eu posso fazer para não ser como os outros?
- Não querer ser - disse Eduardo. - Não querer nunca ser. Não deixar que pensem por ti. Que te ponham rédeas como se fosses um cavalo." (Caio F. - Limite Branco)


Hoje foi dia de vontade de ouvir rock nacional, então baixei RPM, Barão, Renato Russo, Capital Inicial - tudo acústico, porque ando cansada de música pesada.

Eu já disse que sou de fases? Tô nessa musicalmente. Mas daqui uns dias passa. E então eu falo as próximas..

Wendy.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Burguesia Decadente (Limite Branco Part. I)

- Maurício, sabes o que é uma burguesia decadente?
- Hã?
- Burguesia decadente, sabes o que é? Um negócio completamente podre, ridículo, sem a menor razão de ser. Sabes o que é?

Maurício entortou de leve a cabeça. Podre, sabia o que era. Uma vez vira uma galinha assim, morta no fundo do quintal. Ridículo ra uma coisa parecida com uma velha muito velha que pintava os olhos e os beiços para parecer mais moça, como o pai dissera na tarde anterior ao ver dona Picucha na janela. Mas havia outras coisas podres também, e outras tantas ridículas. E tantas mais que não sabia qual delas escolher para mostrar a Edu. Mas o primo tinha aquele jeito de quem já sabia a resposta. Então disse:
- Não. Não sei, não. O que é?


Comecei ontem a ler LIMITE BRANCO. Primeiro romance escrito por Caio F. Abreu, aos 19 anos. A edição que estou lendo, emprestado da Ruiva (valeu por mais essa irmã!!) é uma edição republicada e foi revisada pelo próprio Caio em 1992. Aliás, é muito massa ver o que ele fala do romance. De como ele acha tudo tão ingênuo que beira a vergonha...

Caio é sempre F#da!! Eu amo. Em LIMITE BRANCO já estou com mais de três citações em apenas 9 páginas lidas. É algo pra ler sem pressa. Pra poder digerir devagar. Entender. Achar lindo.

Eu acho. Eu sempre acho lindo.

Wendy.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Os Santos têm mais o que fazer.

- Tivemos um bebê, Con e eu. - Ela parou, olhou fixamente para as mãos cerradas, para as juntas brancas sob a pele. - Era uma menina, que nasceu morta. Parece que o Deus dos cristãos guarda rancor.

Houve um breve silêncio, e então, o Irmão Columba disse:
- Pode ser, ou talvez Ele tenha levado um anjinho até o céu para se sentar ao lado Dele, para escapar a um mundo de sofrimento e dor...

Isolda estendeu o braço e arrancou folhas das ervas rijas flexíveis que cresciam ao redor da pedra:
- É fácil dizer isso.

O Irmão Columba não ficou constrangido:
- Pode ser simples, mas a fé também é assim: não é fácil, mas é simples.

(CREPUSCULO DE AVALON - UM ROMANCE DE TRISTÃO E ISOLDA. ANNA ELLIOTT)


Esse cara, o Irmão Columba do livro, era um católico visionário e acreditava que Deus e Cristo tinham mais com que se preocupar que com coisas pequenas. É um personagem secundário que aparece bem depois do meio do livro, mas é cativante.

Coincidentemente hoje vi na internet que fecharam as portas da Playboy de Portugal depois de uma sessão de fotos em homenagem a Saramago que morreu recentemente e o seu livro "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" - que ainda não li, está nas minhas prioridades, e conta a história de um Cristo moderno conhecedor dos prazeres da carne. Fiquei curiosa ô novidade! pra ver esta revista. Não sou cristã de formação, não me sinto ofendida com esse tipo de coisa, e na minha humilde opinião de ex-religiosa fervorosa e ex-quase-cética muito menos as divindades se sentem.

Os Santos têm mais o que fazer.

Wendy.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Como colocar um contador de visitas?

1ºentre no site http://www.contagotas.com.br/ na primeira pagina você já escolhe a cor do contador, e faz um cadastro grátis.
Dai depois cópia o código HTML que sera gerado. (Obs: Não modifique o código, para que ele não corra risco de não funcionar no futuro.);

2º passo Abra o Blogger;

3º Click em Layout;

4º Click em Adicionar um Gadget;

5º Click em HTML/JavaScript;

6º Escreva no título vistantes;

7º Cole o código HTML que você copiou.

É superfácil, nem eu que não entendo bulhufas de HTML - tenho até medo do termo - consegui. Muito bom ver quantas visitas o blog já teve. Eu tinha esse recurso no Wordpress.. viciei.

Wendy.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Primeiro post Blogspot!



Hoje, sete de julho - quanta redundancia, já que vai aparecer a data no cabeçalho do post - de doismiledez, minha amiga Lichia, fez um GRANDE FAVOR para mim. Ela e a sua incansável persistencia migraram pra cá, os meus duzentos e tantos posts que eu tinha no wordpress.


Eu já amo essa garota faz tempo. E teria muitos motivos para dizer o porque, se é que se tem um porque pra se amar. Mas só pra se ter uma ideia, ela passou mais de meia hora tentando fazer essa migração pra mim, mesmo depois de eu ter falado pra ela: "pódexá mulher...", fora o fato de passar tardes inteiras trocando figurinhas sobre make, yorkie, namorados, e outras coisas que amamos perder tempo falando.


Obrigada Lichia. De verdade, viu!

Espero gostar do blogspot da mesma forma, ou mais, que gostava do wordpress.


Aqui hoje chove, e tá friozinho.. I like this!


Wendy.

sábado, 3 de julho de 2010

Um Sonho Possível

Ontem não fui trabalhar, mesmo sendo sexta-feira, por causa do jogo do que elimonou o  Brasil na copa. Mas, como costumo acordar cedo mesmo em dias de folga, aproveitei pra ver um filme antes do jogo. Daí que minha prima tinha comprado UM SONHO POSSÍVEL - Tradução do título original ficaria O LADO CEGO, coisa que tem a ver com jogo de futebol americano, pelo que eu entendi.  Aliás sou supercontra mudar o nome do filme quando vem pra o Brasil - não sei se acontece em outros países - porque simplesmente não traduzem e pronto?? saco! Eu já tava doidinha pra ver pra saber o porquê do Oscar de melhor atriz pra Sandra Bulloc.

(NOTA: ela fica horrível loira)

O filme é lindo. E me comoveu do início ao fim. Não vou dar spoillers - essa gentileza é pra você Lichia - mas vou falar um pouco dos motivos que levaram esse filme a abalar tanto tanto minha alma.

Pra começar, minha TPM e só isso já seria o suficiente :). Eu já estava sensível a semana toda - pobres mortais aqueles que tem que conviver comigo nesses dias - e desde terça-feira, quando cismei em ouvir o Blues da Piedade de Cazuza, que me senti pequena.. no pior sentido da palavra. Àquele que nos aproxima do nosso próprio egoísmo. Que nos faz enxergar apenas o lado mesquinho de nós mesmos. Eu estava assim, nessa exata situação espiritual, quando comecei a ver ontem pela manhã o filme.

E ele fala de altruísmo. Fala de vontades minhas que estão adormecidas por falta de ter como concretizá-las. Uma das coisas mais lindas que achei - fora a atitude de Leigh Anne, obviamente, e do comportamento do Michael - é a postura do marido dela.  Me fez perceber que por vezes - e na maioria delas - precisamos mais que um porto seguro. Precisamos de alguém pra nos "pilhar", nos dar espaço, pra sermos nós mesmos. Alguém que não questione nossos motivos. Mas percebi também que isso é incentivado... por nós.

Fica a dica pro final de semana.

Wendy.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Crepúsculo de Avalon - uma Romance de Tristão e Isolda.

"Nenhum homem é um mal, na sua própria opinião. Ele sempre encontra razões que justifiquem seus atos, pelo menos para si mesmo." (Isolda de Tintagel)




No meu aniversário, ganhei um livro da minha mãe chamado CREPÚSCULO DE AVALON - UM ROMANCE DE TRISTÃO E ISOLDA e ainda não havia começado a ler, porque tinha uma fila de prioridades na frente. Então, assim que terminei de ler COMER, REZAR, AMAR, iniciei a leitura desse romance.


Eu AMO mitologia nórdica, mesmo sabendo muito pouco a respeito dela. Amo o Rei Arthur e a Távola Redonda e as aventuras que narram um pouco de Avalon, Morgana, Merlin, Senhoras do Lago, Misticismo... Nesse livro que leio agora, Isolda é neta de Morgana, filha de Guinevere e Modred (filho de Arthur e Morgana).


Tudo é muito bem contado, e estou achando a personagem principal fantástica. Dotada de muita coragem e orgulho - àquele que só os antigos sabiam ter quando tudo que tinham eram sua palavra e sua conduta.


Estou na metade do livro e se passaram 04 dias na narrativa. Tudo acontece depois da morte do Rei Constantino, esposo de Isolda e da decisão de se ter um novo Grande Rei da Bretanha. Acredito que essa versão da história daria um ótimo filme! 


Falando em filme, eu já assisti TRISTÃO E ISOLDA, aquele com o carinha do filme do Homem Aranha fazendo o papel do Tristão e eu odiei. Tanto que até hoje tenho antipatia pelo ator..rs. Acho o Tristão do filme muito covarde. Odeio covardia em filmes. Odeio covardia na vida real também. Enfim...


Gosto de pensar que já vivi coisas assim, que já tive a oportunidade de viver mais perto da magia da noite, bruxas e seres elementares.


Wendy

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Comer Rezar Amar (o meu livro do ano! - até agora...)

Preciso revelar aqui que não tenho absolutamente problemas com Best-Sellers. Digo, problema em lê-los, até muito pelo contrário.

Se eu dissesse que tenho problema em ler best-seller como os "intelectuais" gostam de afirmar(e eu me excluo disso basicamente por dois princípios básicos meus: 1º NÃO sou intelectual e 2º nem de longe almejo ser!) , então eu contrariaria meu espírito curioso nato, pois simplesmente não consigo ouvir ninguém comentando muito um livro sem despertar em mim a vontade de saber do que estão falando!

E porque falei de best-seller hoje?



Pra falar de COMER REZAR AMAR de Elizabeth Gilbert. Esse livro que venho lendo há pouco mais de 10 dias e que simplesmente mexeu muito comigo (como acho que mexe com todos que o leem).

Resolvi ler COMER REZAR AMAR porque o livro está prestes a virar um filme (com Julia Roberts e Javier Barden em papéis principais). E eu não concebo ver um filme que é livro sem antes ler o livro. :)

E foi então que me apaixonei pela jornada em busca de si mesma e das coisas simples da vida dessa mulher. E sabe por que?? porque ela não eh super-heroína, nem mágica, nem metida a esperta. Ela é normal!!

O que aconteceu com Elizabeth Gilbert, poderia (e aconteceu mesmo muitas das coisas) ter acontecido comigo. A única coisa que eu pensei de forma negativa o livro todo foi: se eu tivesse grana pra fazer o que essa mulher fez em um ano, eu também seria alguém bem resolvida para todo o sempre amém!!

Aprendi muito com o livro. A narração dela é perfeita. Parece que você está lendo um incrível diário de viagem seu. Algumas das anotações são pessoais, outras históricas, outras religiosas. E é tudo uma delícia.

Eu sei que já recomendei!! Mas estou recomendando de novo. É um livro que eu leria novamente.. não fosse a fila de coisas que ainda pretendo ler esse ano.

Wendy.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Comer Rezar Amar (2)


"Olho para o Augusteum e penso que, no final das contas, talvez a minha vida na verdade não tenha sido tão caótica assim. É apenas este mundo que é caótico e nos traz mudanças que ninguém poderia ter previsto. O Augusteum me alerta para eu não me apegar a nenhuma ideia inútil sobre quem sou, o que represento, a quem pertenço ou que função eu poderia ter sido criada para executar. Sim, eu ontem posso ter sido um glorioso monumento a alguém - mas amanhã posso virar um depósito de fogos de artifício. Até mesmo na Cidade Eterna, diz o silencioso Augusteum, é preciso estar preparado para tumultuosas e intermináveis ondas de transformação"

(ELIZABETH GILBERT, COMER REZAR AMAR, PG 112 - ED. DE BOLSO)

Como alguém que mora do outro a léguas de distância de mim pode me ensinar tanta coisa com sua jornada simples em busca de si mesma? Isso prova o quanto somos todos iguais mesmo.

Wendy.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Comer Rezar Amar (I)

amor.jpg_2.jpg

" ... Além disso, tenho problemas de limites com os homens. Ou talvez não seja justo dizer isso. Para ter problemas com limites, é preciso primeiro ter limites, certo? Mas eu sou inteiramente tragada pela pessoa que amo. Sou como uma membrana permeável. Se eu amo você, eu lhe dou tudo que tenho. Dou-lhe o meu tempo, a minha dedicação, a minha bunda, o meu dinheiro, a minha família, o meu cachorro, o dinheiro do meu cachorro, o tempo do meu cachorro - tudo. Se eu amo você, carregarei para você toda a sua dor, assumirei por você todas as suas dívidas (em todos os sentidos da palavra), protegerei você da sua prórpia insegurança, projetarei em você todo tipo de qualidade que você na verdade nunca cultivou em si mesmo e comprarei presentes de Natal para sua família inteira. Eu lhe darei o sol e a chuva e, se não estiverem disponpiveis, dar-lhe-ei um vale de sol e um vale de chuva. Darei a você tudo isso e mais, até ficar tão exausta e debilitada que a única maneira que terei de recuperar minha energia será me apaixonar por outra pessoa."

(ELIZABETH GILBERT - COMER REZAR AMAR - pg. 98 - Ed. de Bolso).

As vezes.. eu me sinto muito parecida com ela... E entendo, porque a Pekena me disse que lembrou de mim ao ler o livro. Até eu lembro de mim em algumas fazes da minha vida, em algumas páginas desse livro.

Bom final de semana. =)

terça-feira, 1 de junho de 2010

Match Point (a vida é uma questão de sorte?)

Comprei esse filme pra ver final de semana passado, mas só ontem consegui assistir.

[match_point.jpg]

A história é a seguinte: um tenista, aspirante a socialite, resolve subir na vida aproveitando todas as oportunidades que lhe são dadas. A teroria dele é (de forma beeeeem resumida) que na vida, é preciso ter SORTE. Logo no início do filme o personagem aparece lendo CRIME E CASTIGO, o que me faz remeter todos os atos dele ao livro e ao personagem principal do romance de Dostoievski.

A trama principal  gira em torno de três personagems: Cris - professor de tênis, Chloe - a mulher rica dele (Lichia, achei ela sua cara!!), e Nola Rice - a amante fatal de Cris.

O que eu achei mais interessante foi como o Woody Allen conseguiu retratar bem a questão da traição/paixão X casamento/comodismo. O que acontece é que numa hora a amante é a pessoa mais importante da vida do cara, ele nem mesmo consegue fazer amor com sua mulher, de tanto que deseja a Nola, mas.. tudo muda quando ela passa a ser inconveniente ficando grávida.

Eu acho incrível como existem mulheres como a Nola, que acreditam MESMO que os seus amantes estão tão apaixonadinhos que vão deixar a sua vidinha tranquila para começar uma nova vida ao seu lado! Como se fosse possível acreditar em alguém com um mau(valeu Pimentinha pelo toque da correção do Mal/mau) caráter desses. Obviamente o mancebo faria EXATAMENTE igual com a pobre mulher - que já foi sua amante, mesmo sabendo que ele era casado e blá blá blá... - ou até pior! Eu sei que é ignorância generalizar as coisas, principalmente falando de seres "humanos". Mas nunca vi a história acontecer de forma diferente nessas 30 e tantas primaveras de vida. E sabe por que? (agora vai soar como feminismo, mas, tô nem aí) é que o desejo do homem - sexo masculino - consegue ser egoísta a ponto de passar por cima dos sentimentos alheios e da felicidade dos outros. Simples assim!

Na minha opinião, o filme poderia lindamente ter o título de: Match Point: O preço de alguns orgasmos!!
[match_point_212.jpg]

Nota sobre SCARLETT JOHANSSON: não consigo simpatizar de forma e maneira nenhuma com ela. Me passa um certo tipo de sensualidade forçada - pela sua beleza óbvia. Em todos os filmes que já vi, e espero me surpreender num futuro próximo, ela faz exatamente o mesmo papel de loira-fatal-sonsinha... Arght!!

About the Movie: Amei o filme - apesar de todos os apontamentos aqui, e justamente por eles. Enredo bom, levanta toda uma questão moral/social contada de forma interessante. Recomendo.

Uma curiosidade: eu nunca fui traída que eu saiba, nem nunca fiquei/namorei homem casado que eu saiba. Nem muito menos acho que a pessoa tem que fazer isso ou aquilo. Mas sinto pena, muita pena, de quem acredita em certos papinhos pra fazer levar pra cama. Fato: eles sempre voltam pras suas vidinhas, por mais insatisfeitos que pareçam.

Uma conclusão: pra mim, a vida não é uma questão de sorte, mas uma questão de ESCOLHAS.

Bom início de semana.

p.s. comecei a ler COMER REZAR AMAR.

p.s.2. recomecei a ver filmes mesmo sozinha, como costumava fazer antes de Davi. Sim, sinto a falta de ver com alguém e poder comentar. Me sinto bem ao fazer isso. Exercício de altruísmo ao respeitar vontades, e amor próprio, ao fazer as minhas!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Crime e Castigo


Terminei de ler ontem o romance mais conhecido do Dostóievski. Inicialmente achei que podia se tratar de um livro chato, mas de leitura obrigatória.

Estava enganada. A narrativa é fantástica. Bom seria ter com quem discutir a história contada no texto... Me recuso a fazer resumo, porque isso tem de monte na internet.. mas seria interessante discutir por exemplo: o que seria o verdadeiro castigo de Raskólnikov (personagem principal do livro que comete o assassinato de duas pessoas, sem intenção - posterior - de roubar)? Bem.. eu tenho minhas teorias, e gostaria de compartilhá-las.. mas não aqui. Isso sim, faria o livro ficar chato, principalmente pra quem ainda não leu. I HATE SPOILLERS!!

Depois de terminada a leitura, sai em busca do filme. Será que alguém teria tido a brilhante ideia de retratar um livro tão massa e de um roteiro tão psicologicamente criativo? A resposta é sim. Há duas versões: uma de 1969 (Soviética e fiel ao romance) e uma de 1998 (extremamente criticada por sair muito da trama). Não vi nenhum. Mas estou a procura da primeira versão.

Indico. Bom fds.

p.s. LIVROS NA FILA DE ESPERA PRA LER:

1. COMER REZAR AMAR

2. CREPÚSCULO DE AVALON (Ganhei da minha mãe, conta a história lendária de Tristão e Isolda)

3. Contos Selecionados de Caio F. Abreu (ganhei domingo de aniversário do meu amigo Manon).

Wendy.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.

A IMPONTUALIDADE DO AMOR

Você está sozinho. Você e a torcida do Flamengo. Em frente a tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha. Trimmm!

É sua mãe, quem mais poderia ser? Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios. Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. O amor dá meia-volta, volver. Por que o amor nunca chega na hora certa?

Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans. Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz. Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio.

O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa.

O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole. O amor está em todos os lugares, você que não procura direito.

A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.

(MARTHA MEDEIROS)

Dica pro final de semana: Bora ouvir Joss Stone!! Tomar sorvete. Mascar Trident menta. Jantar Açai no Paradise (o melhor de Natal, sem dúvidas!!). Lembrar de mim, porque domingo é meu niversário!!

=)

quarta-feira, 19 de maio de 2010

vai uma reforminha aí??

Sabe o CAOS?? muito pior!

Sabe o olho do furacão?? muito pior!

Sabe a desordem?? muito pior!

Mas quando terminar vai ficar tudo lindo aqui no escritório que eu trabalho. E até pra escrever tá ruim, bate um desestimulo, sabe como é, neh? Meu lado Monica Geller fala mais alto!

Posto fotos.

=**

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Palavras de Razumikhin

" A mentira é o único privilégio do homem sobre todos os outros animais. Mente, que vais acabar atingindo a verdade! É precisamente por ser homem que eu minto. Nem uma só verdade poderias alcançar se antes não mentisses quatorze vezes, e até cento e quatorze vezes, o que represetna uma honra sui generis; simplesmente nós nem sequer sabemos mentir com inteligência! Tu mentes, mas mentes de uma maneira especial, e eu ainda por cima te dou um abraço. Mentir com graça, de uma maneira pessoal, é quase melhor que dizer a verdade igual a todo mundo; no primeiro caso se é um homem e, no segundo, não se é mais que um papagaio! A verdade não anda depressa, mas podemos fazer a vida correr; há exemplos disso. Ora vejamos: ciências, da cultura, do engenho, da invenção, da experiência, em todos os campos, em todos, não passamos das primeiras letras. Gostamos de nos regalarmos com a inteligência alheia! Da papinha já feita! Não é verdade? Não tenho razão?"

(Crime e Castigo, Dostoiévski)


Hoje é dia de ouvir Sarah Maclachlan, Mirroball. Conhecem?? Escutem!


Bom fds.


Wendy!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

parece um autorretrato meu (por Martha Medeiros):

Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes...

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música e de sexo. goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ... Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!

Minha prima mandou um link sobre uns textos de Martha Medeiros e eu já tinha lido muita-alguma-coisa no blog da Poetriz. Ontem li alguns textos do site.. esse tão parecido comigo...

Bom fds a todos.

=**

sábado, 10 de abril de 2010

please, please, please...




Please, Please, Please Let Me Get What I Want



Por favor, Por favor, Por favor, Por favor Me Deixe Ter o Que Quero


Good times for a changeBons tempos para uma mudança
See, the luck I've hadVeja, a sorte que eu tive
Can make a good manpode fazer um bom homem
Turn badse tornar mau
So please please pleaseEntão por favor, por favor, por favor,
Let me, let me, let meMe deixe, me deixe, me deixe
Let me get what I wantMe deixe ter o que eu quero
This timeDessa vez
Haven't had a dream in a long timeNão tenho tido sonhos há um bom tempo
See, the life I've hadVeja, a vida que eu tive
Can make a good man badPode fazer um bom homem mau
So for once in my lifeEntão pelo menos uma vez na minha vida
Let me get what I wantMe deixe ter o que eu quero
Lord knows, it would be the first timeo Senhor sabe, seria a primeira vez
Lord knows, it would be the first timeo Senhor sabe, seria a primeira vez

Vontade de rever 500 DIAS COM ELA...

Vi COCO ANTES DE CHANEL hoje de manhã. Muito bom filme mas o tempo todo no filme eu lembrei de PIAF.

Ainda chove aqui... depois de uma breve estiagem ontem.

... inda bem que gosto de frio.

terça-feira, 2 de março de 2010

não espere(m) nada de mim...

... não hoje que não estou legal e meu filho precisa de mim. E estou tão abalada a ponto de ser grosseira. E ando tão distraída que não consigo cuidar nem do meu próprio sistema imunológico.

e não me traga(m) mais problemas. Quero antes o silêncio do que qualquer coisa que eu não possa resolver. Não resolver me apavora. Sou prática, metafórica, porém objetiva. Adiar me mata.

e por favor, perdoe minha falta de tato. É fase. Porque tudo está acontecendo ao mesmo tempo. E de não ter tempo nem mesmo de respirar, é que fico angustiada como asma que não sara.

Ainda esperando por melhoras.

Wendy.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

travessuras (3)



- A verdade é que pela primeira vez estou me sentidno insegura, sem saber o que fazer. Muito só. Nunca me aconteceu nada parecido, embora também tenha passado momentos difíceis antes. Para seu governo, eu vivo doente de medo. - Falava com uma aspereza orgulhosa, num tom e com uma atitude que pareciam desmentir o que dizia. Olhava nos meus olhos, sem pestanejar. - O medo é uma doença, também. Que paralisa, que anula. Eu não sabia e agora sei[...]

(TRAVESSURAS DA MENINA MÁ, Mario Vargas Llosa)

Como a Menina Má, e como todos os seres humanos, temos pontos fracos, que nos fazem ser desonestos, insensíveis.. ou isso, ou perecemos. Porque a bondade santifica, e a maldade nos faz gente. O importante é não machucar muito. Porque sempre acaba voltando, de uma forma ou de outra, pra você.

Terminei ontem de ler o livro. Nota máxima, aliás, com excessão da parte política do Peru, que,  eu não gosto de política nem do meu país, a parte da estória em si, faz mesmo refletir como diria o autor com sua frase/sinopse: "Qual a verdadeira face do amor?"

Recomendo. Principalmente pro Milhouse.

Wendy.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

travessuras (2)

- Se daquela vez, em vez de me despachar para Cuba, você me tivesse deixado ficar ao seu lado, aqui em Paris, quanto tempo duraríamos juntos, Ricardito?

- A vida toda. Eu faria você tão feliz que nunca mais iria me largar.

Parou de brincar e me olhou, muito séria e um tanto depreciativa:

- Que ingênuo, que bobo você é - disse, separando as sílabas e me desafiando com os olhos. - Você não me conhece. Eu só ficaria para sempre com um homem que fosse muito, mas muito rico e poderoso. E você nunca será, infelizmente.

- E se dinheiro não trouxer felicidade, menina má?

- Felicidade, eu não sei nem me interessa saber o que é, Ricardito. Mas tenho certeza de que não é essa coisa romântica e brega que você imagina. O dinheiro dá segurança, proteção, permite aproveitar a vida sem se preocupar com o amanhã. É a única felicidade que se pode apalpar.

...

- Você é boa gente, mas tem um defeito horrível: a falta de ambição. Está contente com o que conseguiu, certo? Mas isso não é nada, bom menino. Por isso eu não poderia ser sua mulher. Nunca vou estar contente com o que tenho. Sempre quero mais.

Eu não soube o que responder porque, por mais que me doesse, ela falara a verdade. Para mim, a felicidade era estar com ela e morar em Paris. Isto significava que você era um medíocre irrecuperável, Ricardito?

(TRAVESSURAS DA MENINA MÁ, Mario Vargas Llosa)

Mais uma pra você, Milhouse. Cada vez, lembro mais e mais de tu.

Wendy.
 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

travessuras (1)

"- A ideia de passar a noite comigo faz você se sentir o homem mais feliz do mundo, miraflorense? Pergunto só para ouvir uma dessas breguices que você tanto gosta de falar.

- Nada poderia me deixar mais feliz - disse eu, apertando meus lábios contra os dela. - Há anos que sonho com isso, guerrilheira.

- Quantoas vezes vai fazer amor comigo? - continuou, com o mesmo jeitinho debochado.

- Todas que puder, menina má. Dez, se o corpo aguentar.

- Só deixo duas - avisou, mordendo a minha orelha. Uma na hora de deitar e outra de manhã. Mas nada de levantar cedinho. Para não ter rugas, nunca, preciso de no mínimo de oito horas de sono."

TRAVESSURAS DA MENINA MÁ (Mario Vargas Llosa)



Os personagens desse livro me lembram muito dois dos meus melhores amigos: Milhouse e a Pekena. (Parece que estou lendo a história de um amor entre os dois que nunca aconteceu).Não conhecia o autor, e anos atrás minha antiga dentista, peruana, me recomendou. Perfeito o livro. Na falta de um Garcia Marques...


Wendy.