quinta-feira, 28 de junho de 2012

Talvez eu só precise de um tempo sozinha...

Tumblr_lt64f8ifdt1r4ix9fo1_500_large

Eu já acreditei mais que as coisas fossem definitivas. Não acho que seja assim.
Talvez só não seja a hora ainda...
Talvez eu só precise de um tempo sozinha...

Mas resolver separar é sempre muito dolorido.
Por mais esperança que se tenha em um dia tudo se resolver de forma diferente.

p.s.  Fiz o que tinha que fazer não o que eu queria.
p.s.2. Dia de ouvir Adele sem parar!

Wendy.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Fonte da Vida e mudanças...

Ano: 2006
Fazia tempo, muito tempo que eu queria ver esse filme. Doug já havia me falado. Ele disse: você precisa ver. Mas me disse que era do mesmo diretor de Requiem Para um Sonho, e, bem, eu não me senti muito bem nas duas vezes que vi esse filme. Adiava, adiava... mas recentemente uma outra pessoa me falou novamente dele, e disse ter sido o melhor filme que viu desde 2007.

Pedi prum amigo baixar o filme e queria ver mesmo na sexta-feira. Não deu. Sábado de rinite grau máximo. De novo, não deu. Domingo de afazeres domésticos e finalmente, às 17hs, eu consegui!

Certamente criei expectativas demais. De tanto que ouvi falar e de tantos trailers que tinha visto, não achei tão legal quanto achei que acharia. Primeiro porque os trailers dão a entender uma linda história de amor através dos tempos, e eu, como romântica incurável que sou, tive meu primeiro entrave quando percebi que não é.


Achei que o filme trata basicamente de dois assuntos: obsessão e superação. O tema é morte. As cenas chegam a lembrar "Requiem" com relação a fotografia. As imagens bem próximas embelezando algo que aparentemente não teria beleza vistas de longe. Gosto disso nesse diretor. Gostei disso nos dois filmes. Também reconheci de cara a Ellen Burstyn , que interpretou a Sara Goldfarb, mãe do Harry. Interpretação perfeita a de ontem também, apesar de Hugh Jackman roubar todas as cenas mesmo diante da beleza da Rachel Weisz.


Muita coisa tem acontecido em minha vida. Ainda não é hora de falar. Mas talvez eu não estivesse na vibe presse filme, né?


Terminei a 5ª temporada de House mortinha de odio pelo reaparecimento da Amber!! Grrr!!


É isso.


Wendy.

terça-feira, 19 de junho de 2012

A Minha Semana com Marilyn (filme)

Ano: 2011


Ganhei o filme nesse final de semana de um amigo da minha irmã. Eu já havia comentado com ele a vontade de ver, ele lembrou e levou pra mim. Tava mesmo ansiosa, ando demorando a ver filmes porque estou empolgada com a 5ª Temporada de House. Mas esse vi ontem mesmo. Na companhia de quem sempre me lembrou muito ela: a minha irmã!

Nos primeiros minutos percebo uma verdade absoluta: como não se apaixonar por essa mulher? Misto de vulnerabilidade e perigo. Fórmula perfeita. Ingenuamente sensual. Displiscencia irresistível. Sou toda elogios. 

Sei lá o que davam à ela uma áurea de despreocupação. Ela flutuava. 

Interpretação impecável da Michelle Williams. Ganhou mais outros tantos pontos comigo como atriz!

Vontade doida de ver filmes com Marilyn.

Wendy.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Mais viciante que Vicodin


Foreman: Quer dizer que você aceita agora o que negou mais cedo?
House: Antes você pediu agora você avisou. E eu não tenho como negar uma afirmação.






E que saudade eu estava dos finais de semana inteiros de House!! Bem senti falta da Pekena, minha companheira de aventuras da série, mas, desculpe-me ela, agora encontrei outro fã incondicional e tão ou mais prazeroso de dividir os momentos "agridoce" de House: o meu pequeno Davi!! =D

Que até me perguntou: Por que House é tão agressivo com as pessoas as vezes, mãe??

Dai eu respondi que "ESSA é a graça, filho... essa é a graça do House!" Tão insuportável que chega a ser indispensável!

Mais viciante que vicodin!

Wendy.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Fabricando deus

"O que me sustenta é saber que sempre fabricarei um deus à imagem do que eu precisar para dormir tranquila, e que outros furtivamente fingirão que estamos todos certos e que nada há a fazer. Tudo isso, sim, pois somos os sonsos essenciais, baluartes de alguma coisa." (Clarice Lispector, O Mineirinho, In.Clarice na cabeceira)

430127_201381936626748_959291567_n_large



Outro dia comentei com um amigo recente e querido que eu sempre me procurava nos textos que lia. Acho que por isso o amor grande pelo Caio F. que é o que melhor fala de mim. Antes dele, Garcia Marquez. Também, recentemente apaixonei-me pelos meninos de Capitães de Areia - mesmo uma realidade tão distante - mas a forma que o texto do Jorge Amado se dá tem muito de mim. A forma de descrever as personalidades. A paixão pelo que está além dos olhos. Amor eterno também pelo doce Pequeno Príncipe que não só me aproxima de mim, como também do meu filho Davi e de todas as crianças do mundo (outra antiga paixão...). Bem, ando lendo Clarice. Das pouquíssimas obras dela que tive acesso muito gostei d"O Livro dos Prazeres", alguns contos etc. Esse é de crônicas. Mas crônicas que parecem contos. Aqui espero postar uma longa série de citações... Já que cito como quem guarda. E como quem fala de mim.

Wendy.