segunda-feira, 25 de junho de 2012

Fonte da Vida e mudanças...

Ano: 2006
Fazia tempo, muito tempo que eu queria ver esse filme. Doug já havia me falado. Ele disse: você precisa ver. Mas me disse que era do mesmo diretor de Requiem Para um Sonho, e, bem, eu não me senti muito bem nas duas vezes que vi esse filme. Adiava, adiava... mas recentemente uma outra pessoa me falou novamente dele, e disse ter sido o melhor filme que viu desde 2007.

Pedi prum amigo baixar o filme e queria ver mesmo na sexta-feira. Não deu. Sábado de rinite grau máximo. De novo, não deu. Domingo de afazeres domésticos e finalmente, às 17hs, eu consegui!

Certamente criei expectativas demais. De tanto que ouvi falar e de tantos trailers que tinha visto, não achei tão legal quanto achei que acharia. Primeiro porque os trailers dão a entender uma linda história de amor através dos tempos, e eu, como romântica incurável que sou, tive meu primeiro entrave quando percebi que não é.


Achei que o filme trata basicamente de dois assuntos: obsessão e superação. O tema é morte. As cenas chegam a lembrar "Requiem" com relação a fotografia. As imagens bem próximas embelezando algo que aparentemente não teria beleza vistas de longe. Gosto disso nesse diretor. Gostei disso nos dois filmes. Também reconheci de cara a Ellen Burstyn , que interpretou a Sara Goldfarb, mãe do Harry. Interpretação perfeita a de ontem também, apesar de Hugh Jackman roubar todas as cenas mesmo diante da beleza da Rachel Weisz.


Muita coisa tem acontecido em minha vida. Ainda não é hora de falar. Mas talvez eu não estivesse na vibe presse filme, né?


Terminei a 5ª temporada de House mortinha de odio pelo reaparecimento da Amber!! Grrr!!


É isso.


Wendy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

**O que dizer do que escrevi?**