terça-feira, 8 de novembro de 2011

Meia-Noite em Paris [No Spoiller]

Eu sempre acho que não faço Spoillers, então, se alguém achar que faço, pelamordedeus, me avise!! eu não suporto pessoas que estragam os filmes que ainda não vi. Não pretendo ter essa mesma atitude inconveniente. Minha intenção é sempre falar do que senti quando vi o filme, ilustrar apenas alguns breves momentos e com este não vou fazer diferente.


Ok, pra começar não lembrava que o filme era de Woody Allen (mesmo achando que o Ross - que foi quem me indicou pra ver esse filme - tenha me dito isso). 

A história é inusitada um escritor encontra com ídolos de uma Paris que ele ama e que não existe mais (Picasso, Hemingway, Dali, ...): quem você gostaria de encontrar se pudesse voltar no tempo e conversar com pessoas que já se foram e que você admira?? 

Minha lista:

Caio Fernando Abreu, Florbela Espanca, Renato Russo, Fernando Pessoa e Cássia Eller. Sei lá se isso daria muito certo também. Não consigo ver muitas afinidades entre eles. Mas seria ótimo encontrá-los em "minha Paris particular". Adoraria estar ao lado da minha irmã nessa viagem. Acho que ela curtiria exatamente as mesmas pessoas tanto quanto eu ou até mais...

RECOMENDO o filme sim. Excelentes diálogos e imagens. Vale todo o sono que estou sentindo agora.

Wendy.

Lição do Dia: Dê uma nova chance pra Amy Winehouse... =}
O que estou ouvindo: Back to Black (Valeu Ross... ou isso é masoquismo meu - péssimas recordações das músicas dela, nem gostava muito da postura Junkie, nem da voz... mas senti vontade de ouvir hoje, pela sua indicação - ou pela foto em seu blog, ou pela canção Love is the losing game...)
Conselho de Caio F.: Eu comecei minha faxina. Tudo o que não serve mais (sentimentos, momentos, pessoas) eu coloquei dentro de uma caixa. E joguei fora.
Minha Resposta à Caio: Eu sempre mantenho tudo em ordem tentando ter apenas o que utilizo. E, sinceramente Caio, o que eu jogo fora as vezes me arrependo e volto atrás. Isso com tudo: roupas, mp3, bijoux, manias. Descobri que o que não serve em um tempo, pode servir em outro. Mesmo continuando com as mesmas atitudes! 

2 comentários:

  1. Tente ouvir mais a Amy Winehouse, as coisas ruins se dissipam sempre (o que pode ser até perigoso, mas é saudável e nunca saudoso).
    Passei mais de uma hora entre fotos e print screens nos clipes para escolher aquela foto: não é casual. A voz é encantadora: "eu sou forte, mas não quero usar tal força".
    Para você, é uma caixa. Para mim, uma garrafa.
    Daqui há pouco, vou começar a jogar as coisas velhas no lixo...
    Se cuida.

    ResponderExcluir
  2. Sou uma pessoa independente disso: Spoillers ou mesmo auto spoillers que é quando você ver o filminho duas vezes... Se quiser falar, pode falar. A relação com uma obra de arte é tão pessoal que se for um bom filme você ver ele várias vezes e cada detalhe novo é descoberto. Ser spoiller só é ruim para quem se convenciona as narrativas hollywoodianas...
    Várias vezes isso aconteceu comigo e nem percebi. Acho que foi tamanha a relação de expectador com a obra.

    ResponderExcluir

**O que dizer do que escrevi?**