sexta-feira, 6 de julho de 2012

Coisas para as quais eu nasci.

‎"Há três coisas para as quais eu nasci e para as quais eu dou minha vida. Nasci para amar os outros, nasci para escrever, e nasci para criar meus filhos. O "amar os outros" é tão vasto que inclui até perdão para mim mesma, com o que sobra". 


Clarice Lispector e seus filhos. (via @juniormilerio)

"Quanto aos meus filhos, o nascimento deles não foi casual. Eu quis ser mãe. Meus dois filhos foram gerados voluntariamente. Os dois meninos estão aqui, ao meu lado. Eu me orgulho deles, eu me renovo neles, eu acompanho seus sofrimentos e angústias, eu lhes dou o que é possível dar. Se eu não fosse mãe, seria sozinha no mundo. Mas tenho uma descendência e para eles no futuro eu preparo meu nome dia a dia. Sei que um dia abrirão as asas para o voo necessário, e eu ficarei sozinha. É fatal, porque a gente não cria filhos para a gente, nós os criamos para eles mesmos. Quando eu ficar sozinha, estarei seguindo o destino de todas as mulheres".



Clarice Lispector In. As três experiências.

Meu filho Davi (hoje com 8 anos) também não foi fruto de algo casual. Não fosse por ele, nada hoje faria muito sentido...

Wendy.

Um comentário:

  1. Eu sou loucaaa pra ser mãe... claro que ainda não é o momento... e ainda tem o fator de que preciso convencer Patryk a ser pai... quem sabe eu consiga né?

    beijinhos Wendy e espero que vc esteja melhor!

    ^^

    ResponderExcluir

**O que dizer do que escrevi?**